Internautas já podem experimentar medição da Internet pela página da Anatel

Junto com a publicação no Diário Oficial da União dos novos regulamentos que determinam parâmetros de qualidade na oferta de conexões à Internet, a Anatel disponibilizou em sua página na internet acesso para o Sistema de Medição de Tráfego de Última Milha (Simet). É a ferramenta do Comitê Gestor da Internet para testar a qualidade das conexões. 
Nas contas da Anatel, os 250 mil acessos por mês à ferramenta crescerão para 1 milhão com a divulgação pela página do órgão regulador. Embora as novas regras não comecem a valer imediatamente – em essência as operadoras terão um ano para se adaptar – a ferramenta de medição de qualidade prevista nos regulamentos será baseada no próprio Simet. 

O teste é realizado em função dos indicadores definidos no regulamento, como velocidade, latência e jitter (que é a variação da latência). São esses os principais indicadores para os quais a Anatel – com base em estudo do Inmetro e do CGI, com participação do próprio órgão regulador – fixou parâmetros mínimos a serem respeitados pelas prestadoras. 

A grande força das novas regras, porém, está na definição dos percentuais de garantia da velocidade – ou seja, de ínicio os acessos deverão ter, em média, 60% da velocidade contratada (nominal), patamar que cresce para 70% e 80% no segundo e depois terceiro ano de aplicação da nova norma. Eventualmente, as medições poderão encontrar velocidades de 20% (depois 30% e 40%), mas a média do mês deve respeitar os 60%. 

Fonte: Convergência Digital

Se você quiser fazer o teste, basta entrar no site da Anatel ( http://www.anatel.gov.br/ ) e procurar pelo link do SIMET, Sismtea de Medição de Tráfego de Última Milha. Ou, para ir direto ao site, basta acessar http://simet-publico.ceptro.br/ e fazer o seu teste.

Apenas para motivos de comparação, moro na cidade de Campinas/SP e contratei na GVT o plano de 15MB. Os resultados obtidos aqui foram:

Ou seja, pelo menos por aqui, a GVT está cumprido e com louvor o que me prometeu na hora que resolvei largar a Telefônica e o Speedy.

Você talvez também goste